sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Viver de aparências - Um mal da nossa sociedade

Na nossa sociedade surgiu nos últimos anos um tipo de vida que poderíamos denominar de "viver de aparências". A vida de cada um é avaliada não pelo que a pessoa é como pessoa mas pelo que tem materialmente ou pelas conquistas alcançadas.

O exibir um bom carro, uma roupa de marca e falar da viagem que se fez no verão é o objetivo de vida de muitas pessoas independentemente do facto de estarem enterrados em dívidas. O que interessa para essas pessoas é ostentarem riqueza que, na verdade, não possuem.

Viver assim é errado, é iludir-se a si próprio. Viver assim deve ser irritante e stressante também. É viver numa ilusão. E pior, este estilo de vida está de tal forma interiorizado na nossa sociedade que até os filhos já entram nessa competetividade. Muitos deixam de ser aquilo que realmente são: crianças!, porque os pais os obrigam a aprender de tudo: música, informática, línguas, ballett, natação, golfe, futebol, etc. Tudo isso, para além de exigirem que estudem e tenham bons resultados na escola. E brincar? Quando é que estas crianças brincam? Não brincam. Elas são forçadas a ser adultas antes do tempo. Irão ter mais sucesso por isso? Claro que não.
Na minha opinião há aqui um enorme erro na nossa sociedade e não será assim, com toda a certeza, que teremos os vencedores da vida. Estes, os vencedores, serão aqueles que realizam sonhos, que são solidários, que praticam o bem e a humildade, que admitem os erros quando é preciso e sabem pedir desculpa, que vivem sem necessidade de impressionar os outros.
Muito sinceramente espero fazer parte deste último grupo de pessoas!

1 comentário: