domingo, 14 de setembro de 2014

É domingo, mas...

Levanto-me, ponho uma música a tocar, abro a porta ao gatinho e dou-lhe de comer. Em seguida, preparo o meu pequeno-almoço e, enquanto como, vou pensando na vida, nos meus planos para a semana, nos meus compromissos inadiáveis e principalmente nas tarefas que me esperam ainda hoje. 
Olho para o relógio e dou conta que, embora seja cedo para um domingo, tenho demasiadas coisas para fazer e não me posso descuidar. O tempo voa!
E porque o tempo voa, nada melhor do que programar o dia. É mais forte do que eu, não consigo trabalhar de outra forma. 
E eis que vou buscar o meu caderninho e uma caneta e começo a escrever.
Escrevo tudo, mesmo tudo o que tenho de fazer no dia de hoje. É uma lista enorme! Será que sou capaz de fazer tudo? Tenho de conseguir... Amanhã nasce outro dia com outra lista, quem sabe ainda maior.
Não me posso mesmo descuidar. Ser mãe, esposa, gestora de uma casa, com praticamente todas as tarefas que à casa estão associadas, ser mulher e cuidar minimamente da imagem porque, enfim, temos de cuidar de nós, caso contrário não aguentamos tanta correria e tanto stress, e ainda ser uma profissional fora de casa e conseguir manter essa atividade desligada de todas as outras por forma a não prejudicarmos nem uma nem outra partes, não é fácil!
É uma grande luta diária.
Costumo reservar o domingo para descansar mas, infelizmente, nos últimos tempos tal luxo não tenho conseguido. Há imenso trabalho para fazer e não consigo desligar o botão. Vão ser dias e dias muito frenéticos e, portanto, só com muita organização, determinação e assertividade irei conseguir.
Depois deste momento de pausa, que dediquei ao meu blogue, vou continuar a trabalhar.
Desejo-vos um excelente domingo!

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Do que eu gosto...

Adoro a jardinagem e uma das coisas que tenho mais pena é de ter pouco tempo disponível para me dedicar a ela.
Ainda assim, sempre que posso, ocupo algum do meu tempo a plantar, a tirar folhas velhas, a regar, a podar e a arrancar ervas daninhas. Isto só é possível porque vivo no campo e porque tenho uma moradia com um jardim. É claro que a manutenção de uma moradia dá muito mais trabalho do que a de um apartamento. Seria muito mais simples viver num apartamento...
Se eu gostava de viver num apartamento? Gostava, mas não era a mesma coisa... As plantas e o espaço exterior de uma casa são muito importantes para o meu bem-estar. Posso mesmo dizer que é aí que eu vou buscar a maior parte da energia e da motivação. Por isso, o inverno é para mim a pior estação do ano, uma vez que, com os dias tão pequenos e por vezes chuvosos e gelados, fico impedida de usufruir destes espaços.
E os meus leitores, também gostam de jardinagem, ou nem por isso?

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

O melhor amigo

Todos nós temos um amigo ou uma amiga em quem confiamos cegamente e que, portanto, é o nosso porto de abrigo, é quem nos ouve nas horas boas e menos boas, é quem nos ajuda a enfrentar alguns desafios, é quem nos apoia quando estamos em baixo, é alguém que está sempre disponível para nos ouvir. 
É também  a esse amigo ou a essa amiga que vamos a correr contar as novidades, por mais fúteis que elas sejam.
Não é fácil ter um amigo ou uma amiga assim, por vezes são necessários muitos anos para conquistá-lo/a.
Dedico este post ao meu marido, companheiro de mais de 25 anos, em quem confio plenamente, e a quem posso chamar de "melhor amigo".
Nem sempre foi assim, mas a vida ensina-nos muita coisa e uma delas, talvez a mais importante, é a de distinguir os amigos verdadeiros dos falsos amigos.