terça-feira, 30 de junho de 2015

O poder da música

Quando estou mais em baixo (e, ultimamente, tenho tido algumas quebras), nada melhor do que ouvir música.
Mas não é uma música qualquer. Existe música que tem um efeito contrário ao que pretendo e, portanto, evito-a.
Normalmente a música que escolho é música calma, para refletir, para meditar ou mesmo para relaxar. Muitas vezes o meu estado mais depressivo deve-se a uma grande carga de ansiedade. Aí, eu escolho  música para relaxar (no mínimo uma sessão de três horas). É claro que vou trabalhando nessas três horas, mas a música acompanha-me e, acreditem, o seu poder é mágico.
Ultimamente as músicas que ouço têm sido as seguintes:

Música romântica
Música para refletir

sábado, 27 de junho de 2015

Equilíbrio

Encontrar o ponto de equilíbrio significa viver num estado de harmonia, de proporcionalidade, de estabilidade.
Proporcionalidade é, de facto, muito importante, para conseguir esse estado. E, portanto, nada de excessos! Excesso de trabalho, excesso de lazer, excesso de peso, excesso de dinheiro. Nada disso é benéfico para conseguirmos esse tal ponto de equilíbrio.
Por essa razão, na busca constante por esse equilíbrio, tento não cometer alguns erros.
Procuro viver num ambiente de harmonia, de paz, de tranquilidade e, sobretudo, procuro viver bem apenas com o essencial.
Tenho cuidado com a alimentação, apesar de não ter excesso de peso.
Tenho cuidado com os gastos.
Evito trabalhar fora de horas.
Tento passar cada vez mais tempo com a família, já que passo praticamente 10 horas fora de casa todos os dias para ir trabalhar.
Dedico os fins de semana à família, à minha casa, a mim própria e aos meus hobbies.
Ouço música para relaxar e sempre que posso, leio.
Nem sempre levei esta vida, mas só assim tenho conseguido viver com algum equilíbrio.
Agradeço à minha família que contribuiu para essa mudança e para conseguir manter esse equilíbrio, apesar de tantas contrariedades da vida e de tantas forças negativas que tentam a todo o custo derrubar-me.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Pausa «Kit-Kat»

Bem, não é exatamente uma pausa para comer um chocolate, embora por vezes até apeteça.

Agora estou mesmo a referir-me a uma pausa, igualmente agradável, durante a hora do almoço. E, claro, depois do almoço, uma caminhada de 15 minutos.

Excelente! Sozinha ou acompanhada, estes momentos a andar a pé fazem milagres, sobretudo se forem passados ao ar livre.

Para quem trabalha num ambiente fechado, como eu, aconselho vivamente a esta pausa. É um excelente redutor do stress.

E a minha querida leitora, já fez a sua pausa hoje?

Onde está a felicidade?

Para sermos felizes, temos em primeiro lugar de estar bem connosco, porque a felicidade não depende dos outros mas de nós próprios.
Como podemos gostar dos outros se não gostarmos de nós, se olharmos no espelho e não gostarmos da imagem refletida ali?
Então, temos de ser nós a fazer alguma coisa de forma a encontrar a chave para as portas da felicidade.
Mesmo com problemas (quem não os tem?) devemos correr em busca dos nossos sonhos, dos nossos objetivos. Devemos saber plantar no nosso jardim (o nosso interior) as sementes da amizade, do amor, da paixão pela vida, pelos amigos. Só assim, seremos felizes.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Há dias assim...

Há dias que parecem anos, horas que parecem uma eternidade, assim tem sido o meu dia-a-dia.
Numa época em que nos queixamos cada vez mais da efemeridade do tempo, em que dizemos muitas vezes que o tempo passa a correr, que o tempo não dá para nada, eu vivo dias em que sinto precisamente o contrário.
Numa luta diária contra o tempo ou a falta dele, luto hoje precisamente pela passagem rápida do tempo.
À procura de melhores dias...

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Haja paciência!

Não é meu hábito criticar os outros, mas há alturas na vida em que é preciso ter muita paciência!
Será da idade? Estarei eu a ficar menos paciente, menos tolerante?
Será que o problema está em mim? Humm ...Pode até ser, mas não só. 
Acho que hoje há cada vez mais pessoas arrogantes, que se julgam "importantes", mal educadas, desrespeitadoras, antipáticas, que só pensam no seu umbigo... 
É pena, pois se algumas pessoas fossem diferentes, este mundo seria bem melhor, sem dúvida. 
Algumas dessas pessoas já são pais e esquecem-se que é esse o exemplo que estão a dar aos filhos. Não esperem que eles venham a ser diferentes...Os filhos veem, os filhos fazem...
Desculpem-me as minhas leitoras pelo tom com que escrevo hoje, mas fico desiludida com o comportamento de certas pessoas.

Haja paciência! Não é fácil...

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Está na hora!

...de acordar
...de definir objetivos
...de melhorar a auto-estima
...de mudar de atitude
...de controlar os sentimentos
...de juntar dinheiro
...de fazer exercício
...de fazer uma alimentação saudável
...de abrandar
...de pensar mais na saúde
...de namorar mais
...de parar de se lamentar
...de dizer mal de tudo e de todos
...de agradecer
...de recomeçar!

Estamos sempre a tempo de recomeçar, isso é o mais importante!

Desejo uma semana feliz a todos e a todas as minhas leitoras.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Barriga, vai-te embora!

Não é novidade nenhuma para ninguém que uma pessoa, mesmo considerada magra, perde imediatamente a elegância se tiver um pouco de barriga
O volume na região abdominal é sem dúvida inestético e, na maioria das vezes, sinal de que algo está mal com a saúde.
Para evitar isso ou, pelo menos, uma das formas para reduzir esse volume é muito simples, é barata (é de borla!) e traz imensos outros benefícios. Refiro-me às caminhadas.
Fazer caminhadas regularmente reduz o volume de gorduras, sobretudo na região abdominal que, não só é mais visível como é, por si só, um indicador de risco cardiovascular,uma vez que, nesta zona, a gordura se instala em redor dos órgãos internos.
Andar a pé depois das refeições, facilita a digestão dos alimentos, ao produzir uma massagem natural do aparelho digestivo e urinário, o que se traduz numa acumulação de líquidos e inchaço estomacal e numa absorção mais regular de nutrientes.

De que é que está à espera? Vá lá, andar a pé 30 minutos todos os dias não custa nada e o resultado é fantástico!



terça-feira, 9 de junho de 2015

O desapego é fixe!

Tem com certeza peças de roupa no roupeiro que já não veste há imenso tempo, certo? e por que não as veste? Já não gosta, entretanto comprou outras... pois, e não se desfaz delas por pena. Está na hora de praticar o desapego.

Doe essa roupa para alguém  mais carente, ofereça a uma pessoa de família, a uma amiga, venda em segunda mão...Se fizer isso, vai ver que fica com muito mais espaço no seu armário e vai sentir uma lufada de ar fresco quando abrir a porta.


Antes de comprar roupa/calçado/acessórios deve pensar o seguinte:

1. Não tem de se preocupar em usar roupas da moda. 
2. Use roupas que combinem com o seu estilo de ser e de viver. Nem sempre o que está na moda combina consigo.
3. A mesma peça de roupa pode combinar com várias outras peças, o que permite montar vários looks.
4. Quando for comprar alguma coisa de novo, desfaça-se de algo "velho", sem pena. Pratique o desapego.

O desapego é fixe, é viciante e é saudável.




domingo, 7 de junho de 2015

A ler...

Adoro ler.

Tenho vários livros na mesinha de cabeceira. Uns já li, outros estão à espera de tempo para os ler.
Há ainda alguns livros que ando a ler. São livros que não seguem a regra do princípio, meio e fim. São livros para ler antes de dormir, por tópicos. 
Recentemente recebi de presente um livro muito especial. Está no topo da montanha da mesinha de cabeceira. Pego nele sempre que posso. É, sem dúvida, prioritário! Pelo tema, pelo motivo pelo qual me foi oferecido, pela pessoa que mo ofereceu... 
O seu título diz tudo: MÃE e foi-me oferecido pela minha princesa mais nova no dia do meu aniversário.

Querem melhores motivos?


sexta-feira, 5 de junho de 2015

Fim de semana

Está mesmo a chegar...

Como todos sabem, adoro as sextas-feiras, adoro os fins-de-semana, mas ultimamente não tenho conseguido usufruir desse bem estar, dessa alegria  que esses dias, normalmente, me proporcionam.
Todos os dias têm sido "segundas-feiras", naquele sentido que todas as pessoas apelidam um dia menos bom, com menos energia, e muito cansativo.
Pois é, os meus últimos dias têm sido assim.
Levantar cedo tem sido muito difícil, trabalhar não tem sido o que mais me tem apetecido. Na verdade, a motivação não tem sido muita, para não dizer, nenhuma.
Quero acreditar que foi só uma fase difícil e que o próximo fim de semana marcará essa diferença.
Até já estou de novo a escrever... talvez este seja já um sinal de que algo está a mudar em mim.
Tenho alguns planos para este fim de semana.
Vou fazer tudo para aproveitar estes dias para repor as energias e voltar à "minha" rotina.
Para começar em grande, hoje tenciono passar duas horas no ginásio para recuperar alguma energia positiva.

Bom fim de semana.