domingo, 22 de abril de 2018

Simples assim...

É assim o acordar num domingo tranquilo.
Abrem-se as janelas e o sol entra sem pedir licença.
O ar é fresco e de uma suavidade sem igual.
Os pássaros se passeiam ainda a medo, com receio de acordar os vizinhos. Um a um surjem na janela numa dança ritmada e encantadora. Vêm acompanhados de uma enorme alegria, contagiante até.

Os meus olhos estão presos a este espetáculo matinal. Será namoro, encontro de amigos ou apenas manifestação da alegria por terem alguém a observá-los?
Simples assim, é o amanhecer numa aldeia tranquila, num domingo com sol.
Se eu trocava isto pela vida na cidade? Nem pensar!
Simples assim, é a vida na aldeia.


sexta-feira, 20 de abril de 2018

Nós somos o que escolhemos ser...


Vivemos numa sociedade cada vez mais insatisfeita. Ou porque chove, ou porque está calor, ou porque se ganha pouco, ou porque o custo de vida está muito caro, ou porque o vizinho está cada vez mais antipático e difícil, enfim... queixas e mais queixas...
Não vale a pena reclamar da vida ou culpar o outro por algo que nos corre menos bem.
O que acontece, de bom ou de mau, é quase sempre resultado das nossas escolhas, das nossas atitudes.
Nós somos pessoas e, como tal, somos responsáveis pelos nossos atos.
Sem nos darmos conta, ao termos determinadas atitudes, atraímos reações que nem sempre são as que esperamos, contudo, fomos nós que as escolhemos.
Parece estranho, mas quando nós tomamos uma atitude positiva perante os problemas, estes são rapidamente ultrapassados.  Já o contrário... dá sempre errado. De um pequeno atrito passa-se rapidamente a um enorme desentendimento, completamente desnecessário.
Por isso, será sempre preferível escolhermos o melhor para nós.
Devemos escolher ser feliz!
Devemos escolher viver em paz!
Devemos escolher viver os nossos sonhos!
Devemos escolher o que queremos para nós e não o que os outros querem!
Devemos preferir sempre a alegria à solidão!
Se escolhermos amar alguém, devemos saber dar esse amor. Dizer "amo-te" não quer dizer nada se não houver ação.
Como a vida é feita de escolhas, nós devemos ter cuidado com as escolhas que fazemos. 
Pensar antes de agir é fundamental. Uma escolha irrefletida pode dar muito mau resultado e, aí, não vale a pena atirar pedras para o telhado.

Bom fim de semana! E boas escolhas!!!!




domingo, 8 de abril de 2018

Novo estilo de vida - Sem stress, com a ajuda da alimentação!

Quem sofre de stress tem muitas vezes tendência a comer demasiado, ou a fazê-lo de forma apressada. Por vezes, come qualquer coisa que lhe aparece à frente.

Surge, então,o problema do peso, muitas vezes associado a doenças cardiovasculares ou outras.


Como nem sempre é fácil evitar o stress, sobretudo para quem tem filhos pequenos, para quem trabalha fora, ou tem de enfrentar o trânsito todas as manhãs, o melhor mesmo é melhorar a qualidade da alimentação que se faz no dia-a-dia. Há certos hábitos alimentares que devem ser pura e simplesmente evitados, tais como comer apressadamente e, sobretudo, ingerir alimentos muito açucarados ou muito condimentados.

Vejamos, de seguida, alguns princípios básicos que ajudam as pessoas stressadas:


  1. Coma devagar, mastigando corretamente e a horas certas. Não coma nada entre as refeições!
  2. Controle a quantidade de gorduras.
  3. Consuma frutas, verduras e cereais integrais em abundância.
  4. Reduza a quantidade de açúcar, de sala e condimentos processados. Use ervas aromáticas para temperar.
  5. Coma alimentos em Vitamina C.
  6. Evite comer habitualmente fora de casa.
  7. Reduza o consumo de todo os tipo de produtos que contenham gordura animal
  8. Controle o seu peso. (Calcule aqui o seu IMC)
  9. Beba água (um litro por dia, no mínimo).

Aliada à melhoria da qualidade da alimentação, deve estar a prática de exercício físico. e não, não precisa de se inscrever num ginásio. Mexa-se simplesmente! Ande mais a pé.

Temos de cuidar da nossa saúde, pois ela é preciosa!

terça-feira, 3 de abril de 2018

A melhor hora para trabalhar... (no meu caso, claro!)

No meu caso, a melhor hora para trabalhar é, ou logo de manhã ou ao final do dia, quando os telefones deixam de tocar.
Não gosto de trabalhar à noite e só o faço quando é mesmo necessário.
Durante o dia, trabalhar nem sempre é produtivo. Pega-larga, pega-larga, é muitas vezes assim que se passa o dia. Resultado? Muito cansaço e produção zero.
Para tornar o dia mais produtivo, tento ocupar-me das tarefas mais complexas logo de manhã, evitando dessa forma alguns erros, que por vezes acontecem por falta de atenção.
Por esse motivo, gosto de chegar bem cedo ao trabalho. 
Também fico muitas vezes a trabalhar até um pouco mais tarde, pela mesma razão.
Gosto de ir para casa com a sensação de dever cumprido, mesmo que seja fora de horas.
Fazer noitadas a trabalhar não é para mim, definitivamente.

E para os meus leitores, a que horas sentem que são mais produtivos no trabalho?

domingo, 1 de abril de 2018

Em abril, águas mil...

Sempre ouvi dizer isso e é muito provável que, também este ano, seja mesmo isso que aconteça.
Abril começou com sol, é verdade, mas foi sol de pouco dura.
Amanhã começa mais uma temporada de chuva.

Mesmo assim, bem vindo abril!
Não podemos esquecer que a seguir a abril, vem maio, conhecido também por ser o mês da flores. E as flores necessitam de água! Venha ela!

sexta-feira, 30 de março de 2018

Desabafos...

Ah e tal, hoje é feriado. E dia santo! 
Dizem os antigos que hoje não é dia de trabalhar!
Pois não, há de facto quem não trabalhe no dia de hoje, quem não faça nadinha.
Mas para isso ser possível, há quem tenha de trabalhar! Sim, porque não se trabalha, mas come-se!
Já não falo sequer nos hospitais, nos supermercados e centros comerciais!
Hoje não é dia de ficar doente? Claro que sim! E ainda bem que há pessoas a trabalhar!
É apenas um desabafo... Acho sinceramente que, salvo raras exceções,  muitas pessoas dizem que hoje não é dia de fazer nada como desculpa para não fazerem mesmo nada.
Respeito muito quem respeita o dia, por motivos religiosos. Infelizmente hoje não existe essa convicção.

Bom feriado e um Santo dia!


quinta-feira, 29 de março de 2018

Destinos...


Viajar é um prazer.

Até há poucos anos atrás eu não conhecia esse prazer que é viajar e estava longe de imaginar que o vinha a conhecer com esta dimensão. Como eu acredito que nada acontece por acaso, também acredito que ainda não tinha chegado a minha hora de poder viver esses momentos.
Felizmente a vida tem-me proporcionado essa oportunidade e eu tenho-a aproveitado da melhor forma possível.
De norte a sul do nosso Portugal tenho descoberto vários cantinhos fantásticos.
Na nossa vizinha Espanha tenho passado bons momentos e conhecido locais belíssimos. Mas ainda há muito para descobrir...
França e Inglaterra eram daqueles países que não estavam nos meus horizontes de viagens... talvez França sim, Inglaterra nem por isso...
Mas uma vez mais, o destino quis que conhecesse também essas culturas, um pouco diferentes das nossas, mas que nos enchem de alegria e prazer.
Ainda assim, não são as grandes cidades que me fascinam. Pelo contrário. Gosto de cidades pequenas, sossegadas e verdes. Londres e Paris são cidades belíssimas, mas muito grandes para o meu gosto.
Alguém me dizia há uns anos "Viajar é viciante!" E, de facto, assim é. 
Conhecer e conviver com novos povos, novas paisagens, novos climas é fascinante.
Há muitos muitos anos, o meu destino de sonho era o Brasil. Não sei porquê, mas encantava-me a língua e o clima... Hoje já não penso da mesma maneira. Não me parece que o Brasil de hoje seja um destino assim tão apetecível...
Itália. Sim, Itália. Este será um destino possível. Roma me encanta. E não, não é só pela comida, nem pelo Papa. Claro que a presença do Papa influencia a minha preferência, mas não só.
Pelo ar, pela terra, pelo mar e mesmo por baixo do mar, já viajei e cheguei a destinos fantásticos.
Veremos o que a vida ainda tem para mim. E se tiver que continuar nesta descoberta, assim será.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publicação em destaque

Aproveitar bem o tempo

Há várias formas de aproveitar o tempo.  Muitas pessoas queixam-se da falta de tempo, outras morrem de tédio, porque não sabem o que hão ...