quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Marmelada caseira

Hoje quero partilhar convosco uma receita muito fácil de marmelada e ainda mais saudável.
Confesso que nunca a tinha feito desta forma e achava até que não ficaria saborosa por ser feita com a casca. Mas hoje, uma amiga minha disse-me que não só era boa como fazia muito melhor.
Como já tinha os marmelos cá em casa, não deixei passar mais tempo, não fossem eles apodrecer.
Querem saber como fiz?
Primeiro, lavei os marmelos, abri-os ao meio e tirei-lhes as sementes e aquela parte mais dura do meio. Não os descasquei (esta é a novidade!)
Depois, pesei-os e coloquei-os na Yammi. Um quilo certinho! Acrescentei-lhe 800 gramas de açúcar amarelo e sumo de uma laranja (devia ser limão, mas eu não tinha em casa).Tapei a Yammi e programei 30 segundos na velocidade 10.
Em seguida, programei 40 minutos, na velocidade 3, a 100 graus.
Por fim, triturei tudo, durante 30 segundos, na velocidade 5 aumentando até à velocidade 8.
E aqui está ela, deliciosa!

Quem disse que pipoca engorda?

A pipoca só engorda se for confecionada com óleo, manteiga, sal, açúcar, entre outros aditivos.
As calorias das pipocas variam de acordo com a forma como são preparadas:

  • 1 chávena de pipoca pronta simples: 31 calorias
  • 1 chávena de pipoca feita com óleo: 55 calorias
  • 1 chávena de pipoca feita com manteiga: 78 calorias
  • 1 embalagem de pipocas de micro-ondas: em média 400 calorias
  • 1 copo grande de pipocas de cinema: cerca de 500 calorias.


Portanto, podemos perfeitamente deliciarmo-nos com um pratinho ou uma chávena de pipocas sem termos a preocupação do peso, desde que as façamos apenas com um fiozinho de azeite, muito mais saudável.

Eu adoro pipocas e não passo sem a minha tigela, principalmente ao fim-de-semana.
Pelo tamanho (XL), como poderão ver na imagem, e pela forma como as faço (apenas com um fio de azeite), este delicioso lanche não tem mais de 100 calorias.

Como do que gosta e não engorde!

Excelente, não acham?


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Deus, Religiões, (In) felicidade - Um livro inspirador

Como sugestão de leitura, deixo-vos hoje este título, já em si apelativo e bastante inspirador.

Tive o privilégio de ele me ter sido oferecido pelo próprio autor, mas aconselho vivamente a sua leitura, dado o(s) tema(s) nele abordados, tão atuais, e que nos preocupam cada vez mais.

É, de facto, um livro inspirador!

Neste momento, é o meu livro de cabeceira e estou a adorar.


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Quer emagrecer? Deixe de fazer dieta!

Parece uma contradição mas, na opinião de alguns nutricionistas, "as dietas são, a longo prazo, a principal razão do aumento de peso das pessoas". 
Não fazer dieta é, dizem alguns nutricionistas, o melhor caminho para viver com qualidade e com o peso saudável. Ou seja, não é preciso cortar no glúten nem alimentar-se apenas de proteínas. para perder peso.
Fazer dieta, a longo prazo, tem consequências contrárias ao que se pretende. Porque será? Porque o cérebro não entende a mudança repentina na alimentação como algo benéfico, antes pelo contrário.
Fazer dieta restritiva provoca stress e depressão. O cérebro comanda tudo e, portanto, devemos, antes de comer, escutar o nosso corpo e não seguir numa direção que ele não quer.
Então, o que fazer quando se pretende perder peso?
Devemos comer de forma saudável, sem exageros, mas satisfazendo o nosso corpo. Uma fatia de pizza de vez em quando não faz mal a ninguém, mas não devemos comer pizza todos os dias.
Devemos comer o que gostamos e não o que uma dieta impõe.
Aconselho a leitura do livro "O peso das dietas", da nutricionista Sophia Deram, um livro de certa forma revolucionário, mas que não deixa de ser uma fonte de inspiração para quem quer perder "aqueles" quilos a mais que teimam em aparecer de vez em quando.



sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Mãe galinha, com muito orgulho!

Antes de sermos mães já fomos filhas e o nosso primeiro pensamento, nessa fase da nossa vida, é "quando eu for mãe, nunca vou ser assim! eu vou deixar os meus filhos fazerem tudo, sair com quem quiserem!" 
Até podemos pensar assim e afirmar isso após uma "discussão" com a nossa mãe, porque não nos deixou ir aqui ou ali, ou porque não nos deixou comprar certas coisas. Mas, mais tarde, quando começamos a crescer, quando passamos ao papel de mãe, passamos a compreender as nossas mães e a dar-lhes mais valor. Elas estavam, de certa maneira, a proteger-nos e a última coisa que elas queriam é que saíssemos magoadas. Isso nós não conseguíamos ver nessa altura.
Hoje já sou mãe, quase avó, e apesar de ter acompanhado a evolução dos tempos e da cultura, revejo-me muito na minha mãe.
Não se trata de proibir, mas sim de proteger. Os nossos filhos são o nosso maior tesouro e é por isso que os queremos defender com unhas e dentes.
Sou uma mãe galinha, é verdade, mas também sou muito atenta e protetora e o meu principal objetivo é transmitir esses valores às minhas filhas. Acho que, de certa forma, tenho feito um bom trabalho, mas elas poderão comprová-lo daqui a uns anos.
A mais velha já ganhou asas e voou para muito longe, a mais nova está em formação. Não tarda, as asas surgem e o voo seguir-se-á.

Sou uma mãe galinha, com muito orgulho.

Eu e elas...