quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Desabafos...

A vida não é fácil,  embora por vezes pareça demasiado fácil para algumas pessoas.
Existem pessoas muito práticas, muito diretas, que dizem o que pensam na hora e existem outras que nem sempre conseguem deitar cá para fora o que sentem. Muita coisa fica por dizer, apesar de, aparentemente, isso não parecer afetar o seu dia-a-dia.
Mas, na verdade, esse "guardar para si", ao longo dos tempos vai afetar e muito a sua maneira de ser, o seu olhar sobre o futuro, vai no fundo alterar o seu comportamento, tornando essa pessoa desconfortável no papel que desempenha.
Provavelmente sempre foi assim, mas hoje reparo que existem cada vez mais pessoas que magoam o outro sem se darem conta, que desprezam o outro diariamente, que fogem do outro sempre que podem e que vivem numa corrida à procura de um destino sem fim à vista.
A ambição desmedida destrói as pessoas e elas nem se apercebem.
Muitas trabalham sozinhas a pensar apenas no seu umbigo.
A amizade? que é isso?
Hoje acredito pouco na amizade e, por isso, conto pelos dedos de uma mão o número de amigos que posso considerar como tal.
As relações entre as pessoas está em constante mudança. A relação entre pais e filhos está cada vez mais difícil. Há filhos que nem falam com os pais, há pais que deserdam os filhos, não os reconhecendo como tal.
As relações no local de trabalho? essas, nem dá vontade de comentar. Na maioria dos casos, é cada um por si, não havendo espírito de equipa nem companheirismo. A inveja é tramada!
E quando uma pessoa se sente desconfortável e não consegue defender-se e impor-se, então é pior a emenda que o soneto. É acusada de sonsa, simplória, burra, falsa e sei lá que mais.
Essas pessoas que se calam a tudo, muitas vezes por respeito e para evitarem conflitos, vivem uma vida de sofrimento, de amargura, de desconforto, no fundo, de tristeza.
Esta é a realidade que vejo hoje e que não gosto. Não gosto mesmo nada!
Perdoem-me este meu desabafo, mas vejo uma sociedade podre, a caminhar para o abismo.

Sem comentários:

Enviar um comentário