terça-feira, 21 de maio de 2013

Curso concluído.. e depois?

Antigamente, quem tinha a sorte de ter um curso superior tinha um emprego garantido.
Como os tempos mudaram...
Hoje, a grande maioria tem um curso superior, por vezes dois e até mais, e emprego, nada!
Saem da Universidade com o "canudo" é uma verdade, mas muitos acabam em casa a ajudar os pais, a fazer aquilo que já faziam antes de irem para a Universidade.

É triste, é frustrante. Andar uma vida inteira a estudar e não conseguir pôr em prática os conhecimentos que adquiriu, nem viver o sonho pelo qual tanto lutou.
Muitos acabam no estrangeiro, alguns a trabalhar numa área que nada tem a ver com a que estudaram. Mas, enquanto não aparece melhor, têm pelo menos um trabalho remunerado.

A situação é dramática para todos, mas para estes jovens que acabam a formatura, licenciatura ou mestrado, o futuro também não é muito risonho.
Se é preocupante para o jovem formado, imaginam como se sentem os pais destes jovens. Pagaram milhares de euros em propinas, investiram o que tinham e o que não tinham na formação dos filhos e, passados cinco anos, recebem os filhos de volta a casa, sem trabalho e sem esperança no futuro.

Como mãe, estou muito preocupada. Também eu tenho uma filha no último ano de um curso superior e não sei como vai ser o futuro. Nós queremos acreditar que haverá sempre uma possibilidade mas... e se não houver? e se os anos forem passando sem surgir uma oportunidade de trabalho?
Como nos vamos sentir?
Há milhares de licenciados no desemprego...

Sou uma pessoa otimista, mas, por vezes, também tenho os meus momentos vacilantes...




5 comentários:

  1. Olá, Manuela!

    Sigo o seu blog há uns tempos mas penso que será a primeira vez que vou comentar!

    Eu terminei a minha licenciatura em 2009, Eng. do Ambiente no ISA em Lisboa!

    Acabei com uma boa média e depois... nada!

    Fiz um estágio curricular, depois fiz um estágio de 3 meses numa empresa gestora de resíduos...e mais nada!

    Na empresa de resíduos onde estive eles precisavam de mão-de-obra, vamos chamar assim! Na sucursal onde estive tinham apenas um engenheiro! UM! E mesmo assim diziam não ter capacidade para me pagar um ordenado, por muita falta que eu lhes fizesse!

    Como deve compreender, não vivo do ar...ninguém vive! Fiquei lá enquanto me foi possível, mas ao fim de 3 meses eles não aceitaram começar a pagar-me e eu tive de escolher outra opção!

    Trabalho há 3 anos num CONTINENTE em part-time e trabalho em part-time no negócio do meu pai (stand de automóveis) como menina do escritório!

    Chego ao fim do mês tenho o meu ordenado, que não é exorbitante mas que me permite viver bem com o meu marido e pagar as contas a tempo e horas!

    É claro que isto está dificil...muito mesmo! Mas também compete às pessoas lutarem...se não há na área X ou Y, vamos para a Z ou D! Se não me aceitam, então posso tentar criar eu o meu posto de trabalho, o meu negócio!

    Nunca vi a emigração como uma solução para mim, porque já tinha um relacionamento sério e o F. tem um trabalho que adora e que, tendo em conta o panorama actual, é bem remunerado!

    Sou feliz no que faço, mesmo que muita gente não acredite! Sei mais da vida do que muitos dos meus colegas que continuam a viver às custas dos pais e usam os quase 20% de desempregados como desculpa para dormir até ao meio-dia!

    Vou pedir desculpa pelo testamento, compreendo a sua apreensão em relação à sua filha e desejo-lhe toda a sorte...mas faça-a ver também que há sempre outras alternativas! :)

    Bjs*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cátia
      Muito obrigada pelo seu comentário!
      Compreendo-a perfeitamente.
      Eu também sou licenciada numa área e não estou a exercer nessa área, no entanto adoro aquilo que faço!
      E também acredito que a minha filha é uma lutadora e vai conseguir encontrar algo para fazer, na área do curso ou noutra área qualquer. Não a imagino em casa sem fazer nada, ou ficar a viver à custa dos pais.
      Mas, infelizmente, hoje vemos muita gente à procura do mesmo. E não está fácil.É só isso...
      Um beijinho e obrigada por seguir o blogue.

      Eliminar
  2. Manuela...posso perguntar qual a área da sua filha ? Pergunto isto porque eu TODOS OS DIAS vejo anúncios de emprego (é uma das minhas tarefas) e se eventualmente "tropeçar" em algo que possa adequar-se...posso transmitir-lhe.

    Eu compreendo essa sua preocupação (mãe é mãe) mas...não deize que isso lhe sugue as forças. As coisas tomam o seu rumo. Poderá não conseguir logo uma coisa fantástica mas certamente conseguirá algo. Pensamento positivo e empenho.

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quotodianos de Seda

      Muito obrigada pelo comentário.
      A minha filha está a terminar o Mestrado em Psicologia Clínica. Estou com alguma esperança, até porque ela já anda a procurar mesmo antes de terminar...
      Há que ter pensamento positivo, claro (e logo eu, sou muito positiva).
      Obrigada e beijinhos.

      Eliminar
  3. Ok, ficarei atenta. Se souber de alguma coisa não me esquecerei :)
    Exactamente, a Manuela até é uma pessoa positiva, portanto FORÇAAAA :)

    Beijinho

    ResponderEliminar

Publicação em destaque

Aproveitar bem o tempo

Há várias formas de aproveitar o tempo.  Muitas pessoas queixam-se da falta de tempo, outras morrem de tédio, porque não sabem o que hão ...