quarta-feira, 1 de maio de 2013

Corre-corre, para quê?

Chamem-me o que quiser, mas cada vez mais me estou a deixar de andar em corridas contra o tempo.
Cheguei à conclusão de que não vale a pena.
É triste, mas é uma realidade que me tem atormentado ultimamente.
Tenho visto pessoas que toda a vida correram, fizeram de tudo para "um dia" serem felizes.  À espera de "um dia" que nunca chegou. 
Trabalham de dia e de noite, não têm tempo no seu dia para estar com a família, não vêem os filhos crescer, muitas vezes (quase sempre),  sem saber o que vão ganhar com tudo isso.
Casamentos desfeitos, filhos violentos ou sem um rumo, dívidas, é esse o resultado de toda uma vida sem vida, sem alegria, sem convívio.
Por isso, não me arrependo nada de ser como sou. Não vivo de ilusões, nem corro atrás de grandes promessas. Decidi há muito tempo que quero ser feliz, quero viver a minha vida, sem correrias, sem ambições desmesuradas.
Ambição desmedida só pode conduzir a grandes desastres.

Bom feriado!


2 comentários:

  1. Gostei muito do seu post e é de facto uma grande verdade. E preciso estabelecer prioridades e viver para o que faz realmente sentido. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Cristy, pelo teu comentário.
      A minha prioridade sempre foi a minha família, se bem que, por vezes, por influência de terceiros, nem sempre cumpri.
      Por isso, hoje não me deixo influenciar.
      Beijinhos.

      Eliminar

Publicação em destaque

Aproveitar bem o tempo

Há várias formas de aproveitar o tempo.  Muitas pessoas queixam-se da falta de tempo, outras morrem de tédio, porque não sabem o que hão ...