segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Ano da poupança

Embora eu não seja uma pessoa muito pessimista, tenho plena consciência de que estamos a atravessar um período muito difícil, sobretudo no que toca a finanças.
É preciso poupar, cortar no que for supérfluo, abdicar de certos luxos, para ver se conseguimos dar a volta por cima e chegar ao fim do ano de cabeça erguida.
Não vai ser nada fácil, tenho a perfeita noção disso, mas vou tentar dar o meu melhor.
Vou tentar poupar ao máximo, no consumo da eletricidade (cumprir o uso da tarifa bi-horária, o que nem sempre tem acontecido, por desleixo; passar a ferro só algumas peças, como por exemplo camisas, blusas, saias, calças, dobrar cuidadosamente pijamas, toalhas e camisolas interiores, para guardar, sem passar), da água (não desperdiçar), na compra de livros (este ano vou tentar usar mais as bibliotecas), nas refeições fora de casa (só irei em casos excecionais, para comemorar algo muito especial), nas compras do supermercado (comprar apenas o essencial, usar sempre os talões de descontos, usar marcas mais baratas), na comida (confecionar pratos saudáveis e económicos).
Não digo que não vá passear uns dias com a família. Claro que sim, aliás, considero isso muito importante para fortificar a relação familiar. Contudo, não serão feitos passeios que obriguem a passar noites fora de casa, o que iria encarecer o passeio.

Não quero desanimar logo no início do ano, mas que não está fácil, é uma verdade.

Por isso, custe o que custar, este ano vamos todos poupar.

2 comentários:

  1. Olá Manuela! É verdade que este ano prevê-se difícil, mas nada é impossível! ;)
    Boa sorte com as poupanças!
    Beijinho

    ResponderEliminar

Publicação em destaque

Aproveitar bem o tempo

Há várias formas de aproveitar o tempo.  Muitas pessoas queixam-se da falta de tempo, outras morrem de tédio, porque não sabem o que hão ...