segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Evite as compras por impulso

Para muitas pessoas, ir às compras é uma terapia. O facto de comprarem uma peça de roupa nova funciona como uma recompensa em relação a algo que não está a correr bem. O ego fica mais inchado e acabam por perder o controlo, gastando mais do que o aceitável. Depois quem paga é o orçamento familiar. 


Controle esse impulso consumista. Só devemos comprar algo se essa coisa nos está a fazer falta e não por impulso.
Não vai comprar um par de calças se tem 10 pares no armário. O mesmo se aplica ao calçado. Será necessário ter um par de sapatos para cada tipo de roupa? Nunca lhe aconteceu comprar uns sapatos, porque afinal até eram baratos, mas depois nem sequer os calçar porque não gostou da cor, ou do formato, ou porque magoam...Mesmo que tivessem custado 5 euros, esse dinheiro daria por exemplo para leite para uma semana, para toda a família!


Antes de ir às compras, experimente o seguinte:


1 – Quando sair para comprar algo, leve só o valor necessário para a sua compra. Deixe os cartões de débito e crédito em casa. Nunca se sabe se conseguirá resistir-lhes. Se optar por pagar com notas, sente o peso da responsabilidade e percebe mais facilmente quanto é que está a gastar.

2 – Se a primeira dica for completamente descabida para si, utilize os cartões de crédito e débito como forma de registo dos gastos. Guarde os talões. Vão ser necessários para que faça contas à vida. Use-os apenas como facilitadores de compra, não como crédito fácil.

3 – Quando tiver de gastar dinheiro na prenda de casamento do seu melhor amigo ou nas roupas do seu bebé recém-nascido, é natural que tenha vontade de comprar o melhor, mas isso pode colocá-lo numa situação muito delicada. A solução também aqui passa pelo auto-controlo. Evite ficar-se pela primeira opção. Esteja atento às promoções. Se procurar bem, consegue encontrar produtos bons e baratos. Se perceber que fez um bom negócio até vai sentir-se melhor psicologicamente.

4 – É importante que exercite a sua capacidade de controlar os gastos. Perceber a diferença entre consumir com responsabilidade e passar dos limites é um grande desafio. Tenha atitude, mude pelo seu bem-estar. Afinal, quem consegue cumprir os objetivos e o planeamento financeiro tem uma vida mais plena e feliz.



Espero ter ajudado a repensar nas despesas supérfluas que faz e a contribuir para que controle esse impulso.
Não se deixe dominar por esse impulso. Em vez de ver nas compras uma terapia, procure analisar bem os problemas que a afligem. Quem sabe, não é mesmo a falta de dinheiro?


Sem comentários:

Enviar um comentário

Publicação em destaque

Aproveitar bem o tempo

Há várias formas de aproveitar o tempo.  Muitas pessoas queixam-se da falta de tempo, outras morrem de tédio, porque não sabem o que hão ...