quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Crise... Onde?

Queridas leitoras

Não posso deixar de postar hoje sobre um assunto que me impressionou bastante.
Como é que é possível, num tempo de crise como estamos a atravessar, haver tanta gente nas lojas como eu vi hoje?
Eu detesto ir a lojas nos fins de semana e nos feriados mas hoje tive mesmo de ir, pois havia uma peça de roupa encomendada há dias e a  filhota estava mais que ansiosa por ela. E lá fomos nós, apenas com esse objetivo.

Não queria acreditar quando entrei no Fórum
A começar pelo parque de estacionamento, onde quase não tínhamos um lugar para deixar o carro.
Depois, ao entrar, demos conta que já cheira a natal. Está tudo enfeitado e com música de natal.
As lojas estavam a abarrotar de gente. E não era só a ver, pois saiam das lojas cheias de sacos. E, acreditem, não estavam a dar nada!
Em seguida, fui fazer a primeira visita à Primark. Bem... essa então, era a loja mais cheia. Já que ali estava, andei a ver, principalmente os preços. Tem imensas coisas, umas baratas outras nem por isso. 
Mas o que mais me impressionou foi a quantidade de gente a comprar, a ver pela quantidade de pessoas nas caixas.
Se isso é estar em crise, imagine-se se não estivéssemos!
Desculpem, isto foi apenas um desabafo. Mas revolta-me imenso ouvir certas pessoas a queixarem-se e continuarem a não saber gerir o dinheiro.

P.S. Isto não é uma crítica à loja Primark, antes pelo contrário. Gostei bastante dos seus produtos e penso que a relação preço/qualidade é adequada. 





8 comentários:

  1. Infelizmente a maioria das pessoas não sabe gerir o que tem, quando tem gasta e depois é o resto do mês a queixar-se e a dizer mal da vida, quando a má da fita é ela própria, será que há assim tanta necessidade de comprar este tipo de coisas?
    Nós mulheres somos todas vaidosas, umas mais que outras, todas gostamos de um trapinho novo, mas há assim tanta necessidade de alimentar a vaidosisse, quando o dinheiro faz tanta falta para outras coisa ou mesmo só simplesmente para poupar para uma situação de emergencia!!!
    Beijinhos e um óptimo fim-de-semana !!!!

    ResponderEliminar
  2. Tens toda a razão! Há muita falta principalmente de bom senso... Eu tenho uma pessoa conhecida que há pouco tempo teve de comprar um roupeiro extra para conseguir colocar toda a roupa que vai adquirindo...
    Acho ridículo nos tempos que correm( e em qualquer tempo) ... Pessoas que chegam ao fim do mês e andam a contar os € para comer ... Não faz sentido. A mim e a qualquer pessoa com bom senso ...
    Beijinho e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  3. EU fiquei chocada pelo mesmo motivo no DVT tive q ir lá buscar o meu filhote q tinha ido ao cinema com os amigos p fetsejar o seu aniversário....havia pessoas e pessoas a atropelarem-se e cheiiiiinhas de sacos sim e claro os da Primark mais que muitos.

    Ao q parece as pessoas ainda n tomaram consciência plena do q se passa.

    ResponderEliminar
  4. Adoro a Primark, uma loja onde qualquer um pode encontrar peças giras, à medida da sua carteira!
    vidademulheraos40.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Estou plenamente de acordo contigo. Acho que estas pessoas ainda não perceberam realmente a situação do país. Ainda há dias uma amiga minha que tem uma amiga cabeleireira contou-me que essa amiga lhe disse que muitas das clientes lhe diziam que preferiam não comer 2 ou 3 refeições mas tinham de ir arranjar o cabelo e as unhas 1 vez por semana. Fiquei em estado de choque e só disse este mundo está perdido! Já vi em alguns blogs de moda, pessoas a vender peças de roupa e calçado comprado dias antes e a dizerem que é por não servir ou ficar apertado. Será que não experimentam ou simplesmente gostam, não importa o tamanho, têm de comprar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queridas leitoras:
      Realmente, este mundo vive de aparências... e as pessoas que têm essa mentalidade, vão sofrer muito daqui em diante.
      Tenho pena dos filhos dessas pessoas que não estão a ser bem preparados para enfrentar dificuldades, e que um dia mais tarde são obrigados a enveredar por vidas menos próprias para sobreviver.
      Muito obrigada a todos pelos vossos comentários.
      Felizmente ainda há pessoas prudentes, que sabem gerir o dinheiro e que para elas "viver bem" é uma prioridade. E não falo de viver de aparências, falo mesmo em viver bem. Não acredito que uma pessoa que vive de aparências seja feliz, durma descansada e se sinta tranquila.
      Toda a mulher gosta de comprar roupa nova, mas também não é preciso andar sempre nas compras!

      Eliminar
  6. Manuela,ao ler este seu oportuno comentário bem assim como todas as réplicas do mesmo, estou de acordo com todos e acrescento: e as estradas? cheias de carros com pessoas que deambulam sem racionalização! Aqui poderia o governo aplicar uma taxa a este tipo de gente, para compensar baixas pensões de pessoas que se veem atacadas com impostos injustos e cujos protagonistas não teem dinheiro para alimentação e medicamentos!

    Trabalho na Dinamarca há muitos anos; aqui aprende-se a gerir o orçamento familiar com bom senso e sem ostentação!
    Quando vou a Portugal, pergunto: onde está a crise?

    Respeitosos cumprimentos desde Esbjerg Dinamarca
    luis braz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Luís Braz, pelo seu comentário.
      Não podia estar mais de acordo consigo.
      As pessoas queixam-se mas continuam a ir de carro para o trabalho, cada uma com o seu.
      Nós, cá em casa,temos três carros, é uma verdade, mas apenas um anda na estrada todos os dias. Só quando é mesmo necessário, por questões profissionais ou outras, é que cada um leva o seu, o que acontece muito raramente, pois tentamos sempre gerir a nossa vida em função dos 4 elementos da família.
      Muito obrigada uma vez mais pela visita e votos de um excelente domingo!
      Manuela Santos

      Eliminar

Publicação em destaque

Aproveitar bem o tempo

Há várias formas de aproveitar o tempo.  Muitas pessoas queixam-se da falta de tempo, outras morrem de tédio, porque não sabem o que hão ...