quarta-feira, 19 de junho de 2013

Quando o muito ainda é pouco...

É incrível ouvir certas pessoas queixarem-se de falta de dinheiro, quando nós sabemos que ganham muito mais que nós e do que a maioria da pessoas. Saberão estas pessoas o que é viver com falta de dinheiro? Terão consciência das dificuldades que um pai ou uma mãe passa para manter um, dois ou mais filhos a estudar, quando apenas traz para casa o ordenado mínimo (quando traz!)? Saberão estas pessoas o que é alimentar-se com sopa e pão todos os dias porque não tem dinheiro para comprar carne, peixe e fruta? Já nem falo de outros luxos, pois o pobre não pensa nisso.
Felizmente não ganho o ordenado mínimo, mas também não me ando a lamentar. Pelo contrário, tenho dito muitas vezes que tenho mais hoje do que alguma vez pensei vir a ter.
É ridículo ouvir certas conversas (eu sei que é feio escutar as conversas alheias, mas por vezes falam tão alto que é impossível não ouvir...).
Desculpem o tom do post de hoje, mas sinceramente fico revoltada ao  ver a ignorância de muitas pessoas. Têm muito mas ainda é pouco. Na minha opinião, estas pessoas só ficariam satisfeitas se ganhassem o euromilhões (e daí não sei, só se fossem mais de cem milhões!).



9 comentários:

  1. Às vezes quanto mais se tem mais se quer. Se até o Cavaco se queixa, eh,eh.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostava de ver o Cavaco a andar a pé por não ter dinheiro para comprar as senhas do autocarro.
      Obrigada Poupadinha por comentares. É bom partilhar ideias e opiniões.
      Um bem-haja!

      Eliminar
  2. Manuela não podia concordar mais. No outro dia no emprego saí do meu gabinte e apanho uma colega no corredor que me interpela assim do nada para me dizer:

    - Já viste isto, é uma roubalheira. Agora vou passar a ganhar uma miséria que nem chega aos 1000 euros.

    Resposta minha:

    - Cheia de sorte. O meu não chega aos 800 e ainda assim não me queixo porque há quem ganhe ainda menos e pior que isso...quem não ganhe nada.

    Sorri e continuei pelo corredor.

    Com franqueza não tenho paciência para tanta lamentação.
    Deviamos agradecer o que temos mais do que lamentar o que não temos. Sabem lá o que é miséria. Nem imaginam. Se imaginassem não abriam a boca.


    Beijinhos Manuela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Quotidianos de Seda por comentares.
      É bom partilhar as nossas ideias e opiniões.
      Eu também penso como tu. Devemos dar graças a Deus por ainda recebermos alguma coisa.Infelizmente existem cada vez mais pessoas que recebem muito pouco ou mesmo nada.
      Um bem-haja!

      Eliminar
  3. É uma grande verdade.
    Eu infelizmente ganho metade do que havia de ganhar (pois estudei para isso), mas não passo a vida a queixar-me pois conheço que não receba NADA e isso sim é muito triste e complicado.
    Devemos saber agradecer o que temos. Eu posso ganhar mal, mas todos os dias dou graças a Deus por tê-lo e rezo para não o perder, pois arranjar outro, neste momento, é muito complicado.
    As pessoas são pobres e mal agradecidas!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada MC.
      É bom partilhar ideias e opiniões com outras pessoas.
      Havia ainda outra situação que eu nem coloquei no post, mas que também me irritou. Ver pessoas que se deram ao luxo de ir a um programa da tarde, lamentarem-se, a dizerem que vivem muito mal, não têm emprego, que vivem da caridade e, na realidade (eu sei do que estou a falar porque conheço uma dessas pessoas)são pessoas que fumam, que saem à noite, que frequentam ginásios, etc. Por favor! Não gozem comigo!
      Infelizmente, os verdadeiramente pobres não vão para a televisão. Estão no seu cantinho, vivendo cada dia da forma mais barata que conseguem.
      Obrigada e boa semana!

      Eliminar
  4. Entendo-te perfeitamente e partilho os mesmos pensamentos. Infelizmente também conheço algumas pessoas assim, ganham mais do que o dobro de nós, passam a vida a queixar-se que não têm dinheiro para médico, para a creche do filho, que o ordenado não chega até ao fim-do-mês e todos os dias tomam pequeno-almoço em pastelaria e se fizerem 3 refeições em casa numa semana é um milagre! Enfim...

    ResponderEliminar
  5. Amiga Manuela

    Desde já parabéns pelo post de hoje, eu estava no desemprego e há pouco menos de 2 meses que consegui arranjar um trabalho, fico feliz por o ter, pois há muita boa gente que gostaria de estar onde estou, pois o certo é bem verdade, como já houve quem dissesse: Trabalhar, com mão de obra barata, mas também digo que onde estou, realmente ganho mesmo muito pouco, nem 485€ trago para casa e moro longe do emprego, transportes ou de carro, está tudo muito caro, mas digo sinceramente, há muita gentinha que se queixa e ganha bem, eu nunca ganhei tão pouco, mas digo antes este pouco que nenhum...
    Fui criada pelos meus pais a viver com pouco,e habituada a isso, não sou de luxos, não uso roupa cara, pois nunca tive posses para isso, mas tenho o prazer de dizer, que sou humilde, que se calhar posso até me tornar parva,por ser ter bom coração, para pessoas que por vezes não o merecem, mas eu sou mesmo assim,onde trabalho é num lar de idosos, que cada vez que vejo aqueles rostos, que teem tanto para contar da sua vida, estão ali, onde por vezes basta um carinho, um sorriso que os fazem sentir felizes. Algumas pessoas que ali trabalham dão o seu melhor, mas custa-me por vezes ver certas situações que não consigo aqui falar.Beijinhos grandes e desculpe o desabafo

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito do seu post. Mas gostava de partilhar um pouco do que aconteçe comigo. Passei muitas dificuldades na vida, infelizmente sei o que é ter de comer pau e água. Mas mesmo quando comi pão e água agradecia a Deus por ter ao menos isso para comer. A vida dá muitas voltas e hoje estou fora do pais, onde ganho muito bem e vivo uma vida boa! Mas acontece que quando vou a Portugal todos de queixam e tenho até pessoas que me pedem dinheiro e ajuda financeira , e nesse momento sou obrigada a queixar-me . Sim porque o meu ordenado é alto comparando ao de Portugal, mas a alimentaçao , rendas, e impostos tambem é muito alto. Resumindo, eu ganho bem, mas o meu ordenado chega para mim mas não chega para pagar a minha vida e os luxos dos outros! Pois porque quem se queixa faz vida de luxos e restaurantes e ainda me pede dinheiro a mim...que ganho bem mas que só me permito de almocar fora quando vou de férias a Portugal. Por vezes sinto uma revolta muito grande, quando minha própria irmã diz que eu me queixo mas que vivo á grande! Não, eu vivo uma vida a poupar para juntar e ter o que hoje posso ter, com muito sacrificio, apenas me queixo que não ganho assim tanto , que dê para mim e para ainda ter de ajudar a pagar a boa vida de quem vive com muito e acha pouco . Felicidades p todas. Maria . França

    ResponderEliminar

Publicação em destaque

Aproveitar bem o tempo

Há várias formas de aproveitar o tempo.  Muitas pessoas queixam-se da falta de tempo, outras morrem de tédio, porque não sabem o que hão ...