terça-feira, 5 de janeiro de 2021

O gosto pela cozinha

Uma das coisas que não mudou na minha vida foi, sem dúvida, o meu gosto pela cozinha.

Eu sempre gostei de cozinhar, embora não fosse muito habilidosa para certos pratos tradicionais. Ficava tudo mais ou menos parecido com... uma espécie de.... Mas, ainda assim, a família nunca reclamou.

Quando decidi mudar de estilo de vida, com uma mudança substancial na forma de confecionar a comida, tive de alterar/adaptar algumas receitas.

Cortei no açúcar branco (já não me lembro da última vez que que usei açúcar branco!), reduzi bastante as manteigas e os óleos, reduzi (quase eliminei) as farinhas refinadas, acrescentei na minha lista ingredientes novos, alguns que eu desconhecia de todo, como por exemplo, sementes de linhaça, sementes de chia, farinha de alfarroba, entre outros.

Com toda esta mudança de ingredientes, o meu gosto pela cozinha foi aumentando e a minha vontade de inventar é cada vez maior. E é isso que faço quase todos os dias. Inventar na cozinha.

Cozinho com variedade, com os ingredientes certos, nutritivos, saborosos e muito saudáveis.

Se a família reclamou? Nada disso! Pelo contrário!

No dia em que faço queques e tartes sem açúcar, eles desaparecem antes de arrefecer. Até os meus netos gostam!

Mas não pensem que deixei de comer arroz de pato, bacalhau à braz, favas com entrecosto, caldeirada de peixe, feijoada ou rancho! Arroz doce, leite creme... Claro que como e adoro cozinhar esses pratos,  só que não faço essa alimentação todos os dias. 


Sem comentários:

Publicar um comentário

Publicação em destaque

Snacks doces sem açúcar